domingo, maio 25, 2014

I'm sure you can free my heart

Eu encarava o pote de sorvete só pra não te olhar nos olhos, porque eu sabia que você me observava com um sorriso bobo no rosto. Ali, no silêncio, "domingávamos" e eu tentava fingir que não era a menina mais feliz do mundo. Meu rosto queimava de vergonha - eu era apenas uma garota começando a descobrir a vida. Você era a melhor parte de mim. Fazia sol e teus olhos castanhos tornaram-se verdes. Tuas bochechas rosadas me chamavam a atenção. Eu só queria aquilo pra sempre. O sorvete derreteu. Você sorriu e eu desviei o assunto. Você insistia em mim.
Depois disso, só fizemos chover.
E eu me lembro como se fosse ontem. Das borboletas no estômago, da espera que pareceu eterna. Do seu sorriso e do brilho que seus olhos tinham à luz da lua. Do relógio que gritava o fim da noite. Do desejo de permanecer. Da saída receosa. Do seu sorriso pedindo pra eu ficar. E de ficar. E do beijo demorado. E do seu cheiro na minha roupa.
Mais chuva.
O verde das árvores era apagado, o frio eriçava os pelos, o seu hálito me esquentava a nuca. E eu lembro de cada momento em que seus olhos fitaram os meus, naquele dia. Das duas horas que pareceram dois segundos e do quanto eu daria para que o tempo tivesse parado e eu estivesse lá até hoje.
Chuva.
E a música, as pessoas, a festa. Dançávamos e você parecia estar em outro mundo. O seu sorriso é tão lindo. Os olhos semicerrados, o sono e a obrigação de permanecermos ali. Você estava melhor do que nunca. E eu não conseguia esconder isso. O beijo inesperado no fim da noite.
Foram meses chuvosos. Meses preguiçosos. De conversas despretensiosas e divagações longínquas. Você foi e ainda é minha inspiração. E depois de todo aquele tempo me aquecendo e protegendo do frio, iluminando os meus dias com aquele sorriso inocente, fazendo aquelas brincadeiras bobas sobre o cotidiano... O sol apareceu.
Eu não queria e nem quero uma vida ao seu lado. Não queria as obrigações, não queria a burocracia, não queria o protocolo. Podia ser tudo só nosso. Eu não ia ligar. Tudo bem se fizesse sol por dias seguidos contanto que eu soubesse que no fim de semana o tempo iria nublar. Que a calmaria tomaria conta de mim.
E que nós dois só faríamos chover.

Vitória

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Talk dirty to me...