quarta-feira, dezembro 28, 2016

Eu te odeio mais do que eu já odiei qualquer coisa e pessoa que já passou pela minha vida

Esse não é um texto de amor. Na verdade, esse texto é sobre o ódio que estou sentindo do amor. Sobre todas as feridas que jazem abertas em mim e que ardem pungentemente, me fazendo urrar um grito ensurdecedor, porém mudo. De nada adianta.
Eu odeio sua risada forçada. Eu nunca sei quando você achou algo engraçado, de fato. Você nunca é você mesmo com as pessoas e eu nem sei se conheço seu verdadeiro eu. Eu odeio essa falsidade gritada e teatral que você arquitetou pra se mostrar.
Eu odeio você contando vantagem na frente de todo mundo para parecer melhor que os outros. Eu odeio o quão engraçado você é e o quanto eu preciso me segurar pra não rir das suas piadas, afinal, eu estou bravíssima com você.
Eu odeio você achar que está tudo bem e falar da sua vida como se eu fosse uma amiga qualquer. Eu odeio você não ter se perdido em mim tal qual os outros se perderam. Eu odeio você não me achar fascinante.
Eu odeio a forma como você estragou todas as musicas pra mim. Até as que não são românticas. Eu odeio não conseguir mais ouvir sertanejo sem chorar, odeio ouvir os rocks que eu tanto amava e lembrar de você dizendo que nosso gosto musical era idêntico.
Odeio todas as vezes que você me disse que nós éramos iguais, porque dessa forma eu acabo me odiando um pouquinho também. Mas isso nos faz diferentes. Saber que eu jamais passaria por alguém como eu e não poria sentimentos em jogo. Saber que eu jamais seria capaz de mentir tanto para as pessoas que eu mais amo e acabar tratando como lixo as que me amam também.
Mas eu te odeio.
Eu odeio tudo o que você me fez e em que me transformou. Odeio mais ainda saber que a culpa disso não é nem um pouco sua e totalmente minha.

Eu odeio não ter sido capaz de te fazer ficar.

Vitória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Talk dirty to me...