sábado, setembro 27, 2014

Perdição

   Eu me perdi no marrom esverdeado dos teus olhos curiosos naquela tarde ensolarada. Todas aquelas interrogações e aquele brilho que só existia quando o assunto era nós dois não me saem da cabeça. Eu te pedi para tirar os óculos escuros porque só assim eu podia lembrar da nossa origem. Você se olhou no espelho e comentou que o que mais gostava em si mesmo era seu olhar. Eu também.
   Eu me perdi no teu sorriso despreocupado que aparecia a cada besteira que falávamos. O modo como teu sorriso combinava com a tua expressão e o tempo incontável que ele permaneceu ali, inebriando todo o meu campo de visão. "Junto de um bobo sempre tem outro bobo, o que ri", você disse. Sim, eu era a boba que só sabia rir. Sorrir, porque o teu sorriso me fazia feliz.
   Eu me perdi na tua voz de sono, pausada, grave e baixa. Me passaram pelo pensamento todas as vezes que eu já ouvi essa voz no pé do ouvido, tamanha proximidade. "Se você sabia sobre o que eu ia falar desde o começo, por que quis vir me ver?" "Porque se você me chamar, eu vou". Droga, por que diabos eu falei isso? Xinguei-me mentalmente mil vezes. Sua voz me eriçou os pelos desde sempre e isso estava longe de mudar. Eu encarava o nada para não ter que encarar todo o amor do mundo, que estava ali. "Então vem." E eu fui.
   Eu me perdi em você e em tudo o que você era para mim, física e moralmente. Seus braços fortes e suas veias aparentes, sua cor de pele, e suas mãos (pelas quais eu era fascinada), seu sorriso de criança, seu olhar curioso, seu toque, seu cheiro. Todas as circunstâncias, a paz que você sempre me passou, as gargalhadas que demos juntos, as indiretas, todo o clima peculiar, as borboletas no estômago, as horas perdidas, as lágrimas, os sorrisos, os conselhos, os elogios e os ensinamentos. Pode ser que você não considere nada disso. Pode ser que eu nunca chegue a representar para você um terço do que você representa para mim. Mas jamais colocarei em dúvidas que você foi o mais perto de sinceridade que eu consegui chegar.
   Eu me perdi desde o começo e nada mudou. Eu ainda estou perdida. Perdidamente apaixonada por você.


Vitória

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Talk dirty to me...